Comentários de Saúde


Em 2011, a Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer (IARC) classificou a exposição a campos magnéticos de radiofrequência (RF), que são emitidos por telefones celulares, dispositivos wireless, e transmissões de radar, rádio e televisão, como possivelmente cancerígena a humanos (IARC Group 2B). Entendemos que alguns usuários de telefones celulares possam ficar preocupados com a classificação; no entanto, é importante notar que a IARC conclui que, ainda que exista a possibilidade de perigo, se isso representa ou não risco requer mais investigações científicas. O preâmbulo da classificação da IARC e as observações gerais esclarecem este importante ponto:
Esta monografia está focada no potencial para um aumento no risco de câncer entre aqueles expostos à radiação de RF, mas não fornece uma avaliação quantitativa de qualquer risco de câncer, nem discute ou avalia qualquer outro efeito potencial à saúde da radiação de RF.

A avaliação dos riscos à saúde é responsabilidade de outra parte da OMS - o projeto International Electromagnetic Fields (EMF), que foi criado em 1996 para avaliar as evidências científicas da possibilidade de efeitos adversos à saúde dos campos eletromagéticos e para aconselhar os governos de todo o mundo. Após o anúncio do IARC no início de julho de 2011, a OMS atualizou seu informe sobre campos eletromagnéticos e saúde pública na metade de junho de 2011 e, considerando a classificação IARC, afirmou que não se sabe de nenhum problema de saúde causado por telefones celulares:

Um grande número de pesquisas tem sido realizado nas últimas duas décadas para avaliar se telefones celulares representam potenciais riscos à saúde. Até hoje, nenhum efeito adverso foi estabelecido como sendo causado pelo uso de telefones celulares.

Várias resenhas de especialistas já foram publicadas desde a avaliação da IARC. A próxima grande resenha aguardada é a avaliação geral de risco, da Organização Mundial de Saúde, de todos os resultados de saúde para tecnologias de comunicação móvel. Ela será publicada como uma monografia de Environmental Health Criteria (EHC). Essas monografias, como descritas pela OMS, são "resenhas internacionais, críticas dos efeitos de químicos ou combinações químicas e agentes físicos e biológicos na saúde humana e no meio ambiente". No caso dos campos eletromagnéticos, ela levará em consideração a avaliação da IARC, mas também todos os parâmetros relevantes de saúde. Um rascunho deve estar disponível para revisão científica no final de 2014, e o relatório final será publicado em 2015.